Páginas

Seja você a mudança


A palavra mudança no dicionário significa transformar, modificar, alterar. E se modificarmos as nossas atitudes? Alterando a forma como agimos com situações, transformando pessoas e lugares, fazendo um mundo melhor e mais tranqüilo.
Já pensou em dar um “Bom dia”, oferecer uma flor para alguém? Pequenos detalhes são aqueles que fazem a diferença em tudo, já pensou em agradar alguém? Quem melhor para agradar que aquele que sempre fez o melhor para nós? Mude por Ele e para Ele.
A mudança só depende de você, então você pensa que ninguém dará valor no que está fazendo, engano seu, pessoas podem não notar, podem julgar – te, mas pense no valor que terá para Ele, aquele que mudou tudo e todos.
Quantas vezes as suas atitudes transformaram pessoas de formas ruins? Agora mostre que mudou e faça com que suas atitudes se tornem boas, seja você a mudança e mostre a mudança.
Portanto, se alguém está nele, nova criatura é. As coisas antigas já passaram, eis que tudo novo se fez. Temos que mudar, claro que serão aos poucos e não do dia para a noite como pensamos que será.
Nada pode nos fazer parar, porque somos aqueles que iremos mudar essa geração, sem amor, fria, mostraremos que com o amor tudo se resolve, devemos mudar e mostrar que somos novas criaturas. Podemos não mudar o mundo inteiro, mas iremos mudar o mundo de cada pessoa que passar por nós. Seja você também a mudança e faça com que outros mudem.  



Resenha #45: O Ar que Ele Respira (Quer Uma Ideia?)

" Ás vezes, a pior parte de existir sem a pessoa que amamos é ter que se lembrar de respirar". 

Autor(a): Britainy C. Cherry 
Editora: Record
Páginas: 308
Publicação: 2016

Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.


Elizabeth não sabe como seguir em frente depois que perdeu seu marido, Steven, por conta da perda ela vai morar com sua mãe, cansada de aturar os vários homens que sua mãe sai, ela volta para a cidade de Meadows Creek, lá ela volta para a casa onde ela e Steven sempre ficaram.
A filha de Elizabeth, Emma, acha que todas ás vezes que plumas brancas aparecem no jardim ou em qualquer lugar, é porque seu pai,Steven, está cuidando delas, e dizendo que as ama. Elizabeth conhece o misterioso Tristan, todos na cidade pequena de Meadows Creek acham que ele é um assassino, psicopata, entre outras coisas, mas Tristan é só um homem que perdeu sua esposa e filho em um grave acidente.
Tristan é apenas um homem buscando a luz, ele perdeu tudo e como diz no livro, quando ele perdeu sua família ele também se perdeu, Tristan estava morto, até que Elizabeth aparece em sua vida.
Um livro lindo que nos faz refletir a forma como tratamos ás pessoas que amamos, chorei o livro inteiro quase, vejo como os personagens sofreram por conta de todas ás perdas, a gente nunca sabe o que vai acontecer.
Tristan e Elizabeth encontraram um ao outro, mesmo os dois sofrendo perdas, todos na cidade não gostaram desse novo casal, mas um em particular odiou Tanner, melhor amigo de Steven, mas ele não gostou não foi por causa da memória de seu melhor amigo e sim porque, ele é apaixonado por Elizabeth.
O amor resiste á tudo não é mesmo? E vemos nesse livro que sim, o amor é muito resistente, demorei muito tempo para o ler, mas depois dele eu posso dizer que estou com uma ressaca literária, leiam esse livro e se apaixonem por Tristan. 

Hello, outra vez venho aqui falar que fiz outra resenha em parceria com a Isa do instagram @querumaideia, passa lá para ler a resenha que ela fez. E também não esqueçam de seguir e deixar um coraçãozinho. 






Resenha: #44 A Geografia de Nós Dois (Quer uma ideia?)

"A gente nunca sabe a resposta até fazer a pergunta". 

Autor(a): Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Páginas: 272
Publicação: 2016

Lucy mora no vigésimo quarto andar. Owen, no subsolo... E é a meio caminho que ambos se encontram - presos em um elevador, entre dois pisos de um prédio de luxo em Nova York. A cidade está às escuras graças a um blecaute. E entre sorvetes derretidos, caos no trânsito, estrelas e confissões, eles descobrem muitas coisas em comum. Mas logo a geografia os separa. E somos convidados a refletir... Onde mora o amor? E pode esse sentimento resistir à distância? Em A Geografia de Nós Dois, Jennifer E. Smith cria tramas cheias de experiências, filosofia e verdade.


Lucy sempre foi à garota invisível que não tem notoriedade, isso acontece, freqüentemente, os únicos amigos que ela tem são seus irmãos, Ben e Charlie que foram fazer faculdade na Califórnia, deixando-a sem ninguém. Os pais viajam o mundo inteiro, então Lucy fica sozinha em New York quando a cidade inteira sofre um blecaute.
Acontece que quando a cidade sofre esse blecaute ela fica presa dentro de um elevador, junto com um garoto chamado Owen, os dois nunca tinham conversado, enquanto espera o elevador ser consertado eles começaram uma conversa e Lucy começa a dizer o quão incrível é New York, só que Owen discorda porque acha a cidade sufocante demais.
Depois de passar o blecaute os dois não se encontram mais, e reviravoltas acontecem em suas vidas, Lucy muda para a Escócia e Owen sai de viagem sem destino com o pai, mas em cada cidade que qualquer um deles passa ou mora, começa a enviar cartão- postal um para o outro com uma única frase: queria que você estivesse aqui.
Os rumos da vida deles seguem diferentes caminhos, eles conhecem outras pessoas, mas não deixam de pensar um no outro, até que chega um momento em que os cartões-postais param de chegar e os dois mesmo assim não deixam de pensar um no outro.
Esse livro me fez refletir que quem quer algo, não importa a dificuldade sempre arruma um jeito de estar com você, seja fisicamente ou mentalmente, Lucy e Owen estavam separados por 8 mil quilômetros de distância e mesmo assim não deixam de pensar um no outro.
Um ótimo livro, é cheio de lugares para um possível roteiro de viagem, tem vários pontos turísticos da Europa e também dos Estados Unidos, que foi de grande ajuda, porque eu já marquei todos os lugares que a Jennifer indicou, como diz Lucy os livros te levam para viajar, mas nada melhor do que estar presente onde o livro se passa.

Hello, essa resenha eu fiz em parceria com a Isa do Instagram: @querumaideia e lá tem a resenha também desse livro, então quando terminar de ler essa daqui e comentar, dá uma corridinha lá! Beijos! Amo vocês! 




Resenha #43: Bela Maldade

" Tenho meus segredos e aprendi que fazer perguntas só serve para me expôr ao risco de ser interrogada também." 

Autor(a): Rebecca James
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Publicação: 2011

Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato.
Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade.
No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel.
Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada...


Katherine Patterson tenta passar despercebida quando entra em uma nova escola, mas ela acaba chamando atenção de Alice Parrie, a garota mais popular e bonita da escola, logo as duas já estão intimas e muito amigas.
Katherine se sente muito bem com Alice, as duas começam a freqüentar uma a casa da outra, um dia Alice lhe apresenta Robbie, um garoto que é apaixonado por Alice, mas que vira melhor amigo de Katherine, alguns meses se passam e o segredo que Katherine guarda consegue ser mantido por esses meses, até que os pais de Katherine pedem que ela convide Alice para conhecê-los e lá o seu segredo é revelado.
A irmã mais nova de Katherine é assassinada, por isso que ela mudou de cidade, não mora com os pais e até mesmo mudou de sobrenome, porque ela não queria que o passado a assombrasse novamente. Alice entende tudo o que Katie passou e a apóia.
Katie conhece Phillippa uma garota maravilhosa que abre os olhos dela aos poucos sobre a sua amizade com Alice, Pip diz que Alice é totalmente insana e Katie não dá atenção porque acima de tudo Alice é sua amiga e apóia tudo o que ela faz.
Robbie é o garoto mais incrível que poderia existir só que Alice o faz de brinquedo, uma hora quer algo outra hora não quer mais, ele conhece o jeito como Alice é e tenta de todas ás formas alertar Katie.

Será que Robbie e Pip têm razão de quê Alice é insana? Que ela só pensa em si mesma? Você terá que ler Bela Maldade para descobrir, mas vá preparado para uma aventura incrível. É um livro que você mergulha de cabeça para ler. 


No fim tudo sempre dá certo


Não venha me dizer que nunca pensou em desistir, que olhou para trás e pensaram em voltar, todos já passamos por isso, ao ponto de querer jogar tudo para o alto e não ligar para mais nada, mas na verdade a gente nunca consegue desistir, porque algo nos prende nessas situações.
É engraçado isso, ás pessoas não gostam de demonstrar fraqueza, mas no fundo somos todos fracos, alguns querem acreditar que são fortes, outros querem ser, achamos forças onde nem pensaríamos que teríamos demonstrar não te torna fraco.
Desistir não te faz menor que os outros, já desisti de pessoas, de coisas, isso só me fez crescer, porque coisas melhores vieram, posso dizer que valeu a pena deixar coisas que me causaram dor. No fim tudo dá certo, todo sofrimento é esquecido, porque temos coisas melhores para guardar do quê raiva, ódio, rancor.
Lembre-se de onde você saiu, tenho certeza que agora você está em um lugar bem melhor, já superamos tantas coisas e estamos aqui, já deixamos tantas coisas para trás e continuamos firmes, não são pequenas coisas que nos fazem parar.
São as batalhas que nos fazem crescer, se não fosse por elas estaríamos no mesmo lugar, parados. Agradeça por estar enfrentando tudo isso, porque há de ter uma vitória. Temos que parar de sermos céticos e negativos, um pouco de positividade não faz mal algum. Experimente é de graça!

Sorria para o dia, é um novo dia, novas escolhas, novas chances de vencer! Você é forte, sabe o seu lugar não é no chão, se cair levanta, sacode a poeira e continua. Somos feitos para cair, levantar e aprender com os nossos erros. Todos os dias temos uma nova chance, basta aproveitar.Não se esqueça no fim tudo sempre dá certo, basta acreditar em si mesmo.  


#Autorando: Raphael Miguel

Hello, hoje eu trago para vocês uma entrevista com o autor de Ácio & Doce, Raphael Miguel, talentoso, que eu me comprometo assim que eu comprar o livro a resenhar porque ele merece. Vamos lá! 

1 – Qual foi o maior empecilho que você enfrentou em relação ao seu sonho (escrever e publicar um livro)?

A maior dificuldade creio eu, não vem com o processo criativo (escrever/revisar), nem com a tarefa já árdua de publicar, mas sim com a pós-publicação. O mercado editorial brasileiro é muito retrogrado e não valoriza o produto nacional. Isso é um fato. Como conseqüência, temos escritores que precisam se virar com aquilo que encontram à disposição para tentar se fazer conhecer. OK, legal. Você escreveu um livro e conseguiu publicar. Infelizmente, agora, terá que fazer com que as pessoas conheçam seu trabalho, se interesse por ele e queiram ler. Para um autor iniciante, esses primeiros passos na pós-publicação são extremamente dificultosos. Ainda mais se levarmos em consideração que a maioria das editoras brasileiras que apostam em autores (semi) desconhecidos não dá o suporte necessário para a divulgação e propagação do produto. O resultado é triste e catastrófico. Deparamos-nos com escritores em situação de puro desespero tentando angariar leitores a qualquer custo.   Eu tive essa dificuldade, ainda tenho e sei que a maioria dos autores nacionais novatos passa por isso.  Não é fácil fazer um brasileiro se interessar por um livro escrito por outro brasileiro, ainda mais se for “desconhecido”. 

2 – Você pensou em desistir?

Quem disser que nunca pensou em desistir no universo literário está mentindo. É o desânimo que assombra o escritor de tempos em tempos, tentando tirar o foco principal dos projetos e desestimular. Acho até que é um reflexo sintomático daquilo que respondi na pergunta de número 1. Por outro lado, pensar em desistir é uma coisa, mas se dar por vencido é outra totalmente diferente. As dificuldades chegam, mas apenas os mais fracos de espírito caem por terra. Ainda que a o pensamento em abandonar tudo paire sobre nossas mentes, temos que vencer este demônio, dizer “não” e nos revestir da armadura da obstinação.
Sempre em frente, desistir jamais!

3 – Qual foi a sua maior inspiração para começar a escrever um livro?

Desde pequeno que me interesso pelo lúdico, por histórias e enredos. Roteirizar já fazia parte de minhas brincadeiras mais pueris e se mostrava algo natural. Então, desse interesse para escrever não foi uma transição forçada. Passei a sentir a necessidade de fazer com que minhas ideias ganhassem corpo, ganhassem vida e foi pela escrita que canalizei essa vontade incontrolável.

4 – Quais suas expectativas em relação ao seu livro?

Primeiro, devo ser realista. Gostaria que meus trabalhos se tornassem verdadeiros marcos, que fossem conhecidos e reconhecidos por muitos, expostos  nas prateleiras de inúmeras livrarias, mas não é bem assim.Na realidade, espero sempre que sejam bem recebidos pela crítica especializada e que façam os leitores se prenderem. É tudo o que espero.

5 – Você gostaria que o seu livro virasse filme?

Quem não gostaria de ver seu próprio roteiro ganhando vida através de um filme? Acho que seria uma grande realização, até porque a abrangência da mídia cinematográfica é bem maior hoje em dia que o da mídia impressa. Por outro lado, tenho que ser honesto. É um sonho distante, bastante difícil de se realizar, mas não custa nada sonhar. É interessante. O Livro do Destino sempre arranca comentários dos leitores de que deveria virar um filme. Inclusive, uma blogueira fez até um vídeo onde dizia isso, citando outros nomes em destaque na literatura mundial atual. Foi uma alegria muito grande. Já para Ácido & Doce, não sei se seria o enredo de um filme. Talvez uma série? Como eu disse, não custa nada sonhar.


6 – Você tem algum autor que te inspirou/inspira? Se sim, Qual?

Sempre que me perguntam isso, fico com medo de cometer alguma injustiça, de esquecer-se de alguém ou algo assim. Então, sempre digo que meus preferidos são os clássicos.

7 – Qual a mensagem que você gostaria de passar a todos aqueles que sonham em um dia poder publicar alguma obra?

Poderia fazer até mesmo uma série de dicas, mas vou mandar 3:
A - A primeira dica que posso dar é: se tens um sonho, escreva-o. O mundo literário é feito de sonhos e esses sonhos se tornam histórias para serem compartilhadas. O livro que não surge  de um sonho, não envolve paixão. Mesmo que seja um sucesso do mercado, será um trabalho sem alma, um livro vazio.
B - Antes de tudo, escreva para si mesmo. O escritor deve ser seu maior fã. Se você está começando a escrever pensando na opinião dos outros, o que irão achar de seu trabalho, está fazendo algo errado! Se você não escrever aquilo que gosta, se não olhar para seu trabalho sentindo orgulho, estará fracassando muito em breve. 
C – Seja crítico quanto ao seu trabalho. Apesar de ter que amar aquilo que escreve você deve ser capaz de enxergar aquilo que não está tão bom no final das contas e saber trabalhar com isso. As histórias quando terminadas tendem a ser cruas e devem ser revisadas quantas vezes forem necessárias, como um diamante a ser lapidado. Apesar de ser seu maior fã, deve ser seu maior crítico.

8 – Tem algum trecho do seu livro que você mais gosta?

Responder isso é uma armadilha. Como autor, gosto do livro inteiro. Se falar de um trecho, vou dar spoiler. Mas, para não fugir da questão, vou dizer que adoro a frase-chave de O LIVRO DO DESTINO:
“Nós é que traçamos o próprio destino.”

9 – Como você é gente como a gente me acredita que você tenha alguns autores que admira muito, você poderia citar alguns?

Não gosto de falar muito em nomes, mas admiro bastante os clássicos por tudo que representam na história da literatura. O mais querido no Brasil é Machado de Assis, imbatível.

10 – Fale um pouco da suas obras, para quê os nossos leitores os conheçam

Já publiquei 25 contos, 6 poemas, 6 crônicas. Meu primeiro livro publicado foi O LIVRO DO DESTINO (2016), pela Chiado Editora, com distribuição no Brasil e em Portugal. Fiquei muito feliz com a repercussão que ganhou e pelo fato de ter conseguido grande destaque e até recebido prêmios e indicações.
A - O LIVRO DO DESTINO acompanha a vida do pacato Eric Dias (17 anos) a partir do momento do falecimento do seu avô (Regis Dias). Mas, tudo  começa a mudar ao perceber que ganhou de herança  um artefato capaz de interferir no destino das pessoas.
Narrado em terceira pessoa, é uma fantasia contemporânea com pitadas de drama, ficção científica, espiritualidade e questões morais através de uma linguagem jovem e dinâmica.
 B – ÁCIDO & DOCE: A ROSA FATAL segue uma linha mais adulta bastante diferente de O Livro do Destino. Através da perspectiva de dois personagens centrais, Eveline (24 anos) e Alejandro (25 anos), a trama se adensa em um romance urbano com o ritmo frenético, pitadas de drama, sensualidade e intrigas.

11 – Para você escrever é...

Uma fuga da realidade e possibilidade de deixar um legado.

12 – O seu livro favorito?

O livro mais significativo para minha vida e para minha carreira de escritor foi “A Odisséia”. Podemos  dizer que é o meu preferido. 

Você pode encontra-ló no Facebook e perguntar sobre os seus maravilhosos livros, comentem se já o conhecem e se já leram alguma de suas obras e me digam o que acharam. Amo vocês! 


Resenha #42: Sangue de Princesa

"As pessoas não gostam de falar sobre coisas que não as deixem felizes." 

Autor(a): Mayrluci M. Kappes
Editora: Pandorga
Página: 297
Publicação: 2015

Após um convite inesperado do rei a vida de Aurora Avin passa de pacata e desinteressante para uma vida cheia de romances, aventuras e mistérios a serem resolvidos...
Tudo o que era antes simples para Aurora se torna complicado. Sua amizade com o comandante Cassian se torna um pequeno desastre amoroso e sua paixão pelo príncipe Matthew se torna insuportável de evitar.
Três corações envolvidos um deles terá de se quebrar? 
Descubra lendo "Sangue de Princesa".



Aurora Avin, está prestes há completar 17 anos e é informada sobre uma festa que irão dar no palácio para esse dia tão especial. O que ela não esperava era que ela teria uma dança com o príncipe Matthew, do Reino de Gade. Ela tem um dia de princesa, literalmente, só tem um problema, Aurora é uma criada.
E no Reino de Gade ou em qualquer outro lugar, um príncipe e uma criada jamais poderão ficar juntos, Aurora sabe disso, mas e o seu coração? Depois de sua festa de aniversário Aurora volta para a sua realidade, onde apenas criados e criadas conversam, sem chegarem perto da realeza.
Só que um acidente acontece e Aurora vai parar no quarto do príncipe, onde ela terá que fazer a limpeza do quarto todos os dias, Comandante Cassian não gosta muito dessa aproximação do príncipe com a sua melhor amiga, isso o deixa bastante irritado. Ele faz de tudo para mantê-los longe, mas não consegue.
Matthew é um ótimo príncipe, sempre preocupado com a segurança de seu Reino e ainda mais agora que ele terá um mais novo integrante na família, seu irmão, ele ajuda o Rei Thomas a traçar estratégias contra o Reino Escuro, um povo que se rebelou e fizeram um Reino para tentar tomar os outros 14 Reinos.
  Aurora se vê em conflitos quando Matthew, o príncipe e Cassian, o comandante a beijam, fazendo com que sentimentos floresçam em seu coração pelos dois, Cassian é convocado para fazer parte da missão onde eles irão invadir o Reino Escuro, Aurora fica ainda mais próxima do príncipe, que a convida para ir ao acampamento onde Cassian e os outros guardas estão.
O quanto de surpresas esse livro nos guarda? Sangue de Princesa não é um clichê como você está pensando, muitos pensamentos que eu achei que tinha foram mudados ao longo da leitura, você tem que ler para descobrir com qual dos dois Aurora irá ficar: Matthew seu sonho desde criança, ou Cassian seu melhor amigo desde criança? Não se deixe enganar! 




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...